Outros Textos
- A Primeira Profecia Maia
- Anjos
- Consciência Kamansh
- Considerações sobre a fé
- Prana - Energia da Vida
- Prece à Mãe Terra (de um Xamã norte-americano)
- A Segunda Profecia Maia
- A Terceira Profecia Maia
- A Quarta Profecia Maia
A Quinta Profecia Maia
Nestes vinte anos de profunda transformação que estamos vivendo e que a civilização Maia denomina de “Tempo do Não Tempo”, mostra um período de mudanças para a chegada de uma nova consciência. Profetizam eles que justamente neste período, virá uma grande crise energética e como conseqüência um colapso econômico e financeiro de âmbito mundial. O dinheiro vai deixar de ser objeto principal de troca do mundo.

O homem passou a valorizar mais o ter do que o ser. A conquista material deixou-o desconectado ainda mais da sua própria essência. O tempo, as pessoas, os atos e as idéias passaram a valer também dinheiro. Os interesses econômicos prevaleceram. A inversão da valorização do ser humano identifica por números o quanto o indivíduo “custa” ou “rende”. Isto faz com que se perca a real noção do sentimento humanitário, do sentimento de amor que leva a compreensão, ao serviço e ao comprometimento com as leis universais.

O homem se tornou o centro de tudo, como se o universo existisse só para ele, como se ele fosse o único ser que pensa e detém o poder. Tornou-se um ser distante de ver e sentir a dor do outro com compaixão, evitando ainda se envolver para servir, desprovido do interesse na retribuição que aquele ato pode lhe render.

O homem passou a não respeitar a natureza. A depredá-la como se ele fosse o dono de tudo, como se ela estivesse ali para satisfazer as suas necessidades. A transformação do mundo só será possível quando começar uma mudança de sentimento e atitude com relação ao que está em nosso próprio interior e em nosso redor.

Este caos que o homem contemporâneo vive com relação aos seus valores internos ficará mais agravado com a previsão pelos Maias do aquecimento solar. As labaredas produzirão ondas de calor intensas e muito facilmente poderão danificar o funcionamento dos satélites artificiais que habitam o nosso céu. Estes, com funções diversas na transmissão de ondas para telecomunicações e serviços de informação, deixarão de funcionar. Se isto acontecer serão afetados os sistemas de transportes, sistema financeiro, controle de tráfego aéreo, sistemas de telecomunicações, eletricidade, distribuição de alimentos, alfândegas entre outros.

É previsto com a crise energética e as grandes dificuldades econômicas que já estamos vivendo, uma grande conturbação. Mudanças profundas só ocorrem através do caos. Infelizmente, vamos ver dias ainda mais difíceis. A transformação do mundo começa com a mudança interna de cada um. Esta mudança interna vai gerar mudança de atitude que será o princípio para a subida da consciência. Se o homem despertar em tempo e conseguir sair do processo de destruição para um processo de salvação e nova construção do ser, muito sofrimento poderá ser evitado.

Os sistemas falharão para que o ser humano se depare consigo mesmo, reorganize a sociedade e compreenda que só há um único caminho: a evolução da consciência. E a evolução da consciência favorece o afloramento da energia amorosa, resultando em sentimentos e atitudes altruístas no que diz respeito ao cuidado com a natureza e com o próximo.

Quando o homem reconhecer que o outro e tudo o que está ao seu redor é parte de si mesmo, viveremos a paz que tanto sonhamos e aí sim, teremos o mundo que faremos por merecer.

Muita Paz!
Lívia Serafim